Minha Cidadania Italiana [Parte 1] – O Começo

Olá, hoje quero começar uma sequência de artigos onde eu conto passo a passo de como está sendo o processo de reconhecimento da minha Cidadania Italiana, vai ser tipo um diário (Igual o diário de um banana) onde vou dividir com vocês minhas expectativas, frustrações, sentimentos e alegrias. Então senta que lá vem história…

O Começo

Tudo começou em uma conversa no trabalho, naquela pequena fila que se forma quando vamos pegar um cafezinho na recepção, eu era o professor novato que tinha acabado de conseguir um emprego em uma escola de cursos profissionalizantes.

Um colega de trabalho bem mais experiente que eu estava se desligando da empresa e como eu sempre gostei de jogar papo fora, logo fui perguntando:

– Eai, o que você vai fazer da vida de agora em diante?
– Então, estou pensando em me mudar para a Alemanha, meus familiares vieram de lá.
– Que legal, eu sempre tive vontade de morar em outro país, aliás algum parente da minha vó veio da Itália.
– Da Itália? Então você tem direito de morar lá legalmente.
– Acho que não, porque não tenho o sobrenome Italiano da minha vó.
– Mas procura saber, pois acho que mesmo assim você tem direito…

Nessa época eu e a Jéssica assistíamos muito aquele programa “O Mundo Segundo os Brasileiros” que passava na TV, mais a gente assistia pelo Youtube mesmo, um episódio em especial era de brasileiros que moravam em Roma contando como era a vida e rotina naquela incrível cidade.

Durante o programa a Jéssica deixou bem claro que tinha o sonho de morar na Itália mesmo que fosse só por um tempo, ela gostava muito da culinária e eu sempre fui fascinado pela cultura histórica.

 

Perguntando para quem entende do assunto

Aquele diálogo tinha ficado o dia inteiro em minha cabeça, morar legalmente na Itália… será mesmo?

Quando estamos com dúvidas qual é a primeira coisa que a gente faz? Exatamente, perguntar para o pai google, e foi exatamente isso que eu fiz quando cheguei em casa naquele mesmo dia.

Eu não vou lembrar ao certo o termo que pesquisei, cidadania Italiana era algo que eu nunca tinha ouvido falar até aquele momento.

A pesquisa retornou vários resultados, entre eles o vídeo de um tal de Fábio Barbiero dizendo que ele próprio já tinha reconhecido sua cidadania e que não era necessário possuir o sobrenome Italiano para ter o direito.

É obvio que procurei em outras fontes para confirmar, mais não é que o Fábio estava certo mesmo?

E foi assim que eu entendi que esse negócio de Cidadania Italiana era mesmo real.

Naquela noite eu fui dormir com uma decisão tomada. Vou morar na Itália custe o que custar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: