Minha Cidadania Italiana [Parte 5] – Transformando o Sonho em Meta

Sinceramente nunca pensei que alguém fosse ler esses artigos onde eu conto a história da minha cidadania Italiana, mas aconteceu algo no mínimo curioso, um leitor entrou em contato pedindo para eu continuar postando esses artigos. Tem louco para tudo não é mesmo? Como são vocês que mandam nesse blog então prometo que vou atualizar essa história o mais rápido possível.

Meus jovens, quando ficamos somente sonhando acordado e não levantamos do sofá, o sonho simplesmente não acontece, é preciso traçar planos e fazer um ótimo planejamento.

O planejamento

Logo que ficamos sabendo sobre a Cidadania Italiana eu e a Jéssica queríamos mudar o mais rápido possível para a Itália. Encontrar qualquer trabalho simples e começar a construir a nossa vida no país da bota.

Porém ao estudar um pouco mais sobre o assunto percebemos que não seria nada tão fácil, esperar mais de 10 anos na fila de um consulado Italiano no Brasil não era uma opção, então só restava se preparar para ir à Itália, se sustentar no mínimo 3 meses lá sem trabalhar. Outro obstáculo era o valor da documentação e o processo como um todo.

Só para você entender a nossa situação naquela época, faziam mais ou menos 1 ano e meio que estávamos morando juntos, mas não tínhamos casado oficialmente ainda. Eu trabalhava como professor de Inglês e Administração em uma escola de cursos profissionalizantes e a Jéssica trabalhava com controle de qualidade em uma fábrica de suplementos, nossos salários juntos não passava de 3mil reais por mês.

Pagávamos aluguel, financiamento da moto (não tínhamos carro), parcelas de alguns móveis, vivíamos bem apertados com as contas da casa. Como poderíamos juntar tanto dinheiro para a Cidadania? Realmente um sonho muito distante…

A partir desse momento começamos a tomar decisões em nossas vidas sempre pensando no nosso novo objetivo. Talvez não valeria mais a pena comprar um sapato novo pois não caberia na mala, trocar o meu velho guarda-roupa de solteiro não era mais uma prioridade, agora tínhamos um grande projeto para concluir, talvez o maior projeto de nossas vidas.

O Casamento

Era começo de 2017 e iniciamos o planejamento do nosso casamento, seria necessário casar Civilmente no Brasil por motivos da cidadania, a Itália não reconhece união estável.

Apesar da Jéssica ter direito à cidadania “Ius Sanquinis” nós preferimos na época investir somente no meu processo e assim ela ter o visto por casamento (Carta di Soggiorno).

Nosso casamento aconteceu em 05 de maio exatamente seis anos após começarmos a namorar, não fizemos cerimônia religiosa, optamos por fazer uma festa simples que serviria tanto para comemorar o casamento quanto para se despedir dos familiares e alguns amigos, os presentes foram em dinheiro, presentes físicos seriam um peso a mais para carregar,  lembra que agora temos um objetivo traçado?

O buffet chique e elegante deu espaço para a descontraída pizza na mão e deliciosos drinks do barman, todos adoraram.

 

Pronto, agora estávamos casados “no civil” um passo a menos na longa jornada em busca da nossa querida cidadania Italiana.

Escreva o que você achou dessa história aííííí nos comentários, já vou adiantado que o próximo capítulo o buraco vai ficar mais embaixo.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: